23 de dezembro de 2011

Feliz Natal-al-al

Bem, na verdade eu iria escrever algo falando sobre o natal, mas, bem... Não sei. Já falei do Papai Noel ano passado, aliás, sempre falo dele. Talvez porque para mim o Natal se resume no bom velhinho. Sei la, Papai Noel é um... Mito, entende? Quase que nem a Palmirinha. E ambos são velilnhos e simpáticos. 
Mas bem... Sei exatamente o que você está fazendo. Ou a sua mãe, ou sua família:


Estão no supermercado comprando as últimas coisas pro Natal?
E você ouve sua mãe falar pelo telefone algo com suas tias sobre manjar ou descogelar um frango?
Sua mãe está estressada porque o bicho vai ficar horas no forno?
Todos seus amigos ressurgiram das cinzas e você nunca recebeu tantas visitas?
Seu avô resolveu te dar um presente?
Seu dentista te mandou um cartão desejando "Feliz Natal"?
Você está tentando decidir ou já separou sua roupa para véspera e agora só falta pintar suas unhas?
Você tem que levar seu cachorro pra tomar banho?
Sua mãe continua histérica, o nível de estress está aumentando "ONDE FOI PARAR A TRAVESSA PRA EU COLOCAR MEU MANJAR?"


Manjar, pudim, sorvete, arroz, maionese, carne, frango, peixe, suco, refri, cerveja... Poxa, mas quanta coisa, vai sobrar comida.


Mas nossas mães nunca acham que vai sobrar. Mas sobra. E elas dizem "Ano que vem faremos menos coisas"


Ah, é... e ainda tem o último amigo secreto que você entrou, já é o 5° desde que começou Dezembro.
E só pra constar, fui interrompida 4 vezes com campainha e telefone tocando, para escrever isso.


De qualquer forma, Feliz Natal para todos vocês e um beijo sabor biscoito de amêndoas natalinos!







Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

9 de dezembro de 2011

Bloqueio criativo para escrever um título.

Sabe o que é? Nem maquiagem vai tirar essa minha cara horrorosa, inchada e com olheiras. Não tem cura. Desconfio de que virei um urso panda. Ou de que tenho cara nas olheiras, em vez de olheiras na cara. E isso aqui, meu amigo, não é conjuntivite não!
Ta entendendo? A coisa tá feia. É possível até mesmo falar todos os palavrões de uma única vez, seu filho da puta, vai pra porra, caralho.
Engraçado, eu não falava palavrão, era contra, entende? Mas cacete, agora to falando.
As coisas mudam. Ah, mudam viu? Agora eu falo palavrão. Quem diria, hein? As coisas mudam.
E se quiser saber, emagreci mais 1 kg. Pois é, não sei pra onde vai tudo que como. Pro nariz. Já disse isso, né? Vai tudo pro nariz.  Posso passar inveja em todas vocês, mulheres que fazem regime. Morram de inveja.
Algum dia na minha vida eu teria que jogar isso na cara de alguém, ou melhor, das mulheres.
E daí que to ouvindo a mesma música faz 2 horas? Todos vocês já fizeram isso alguma vez na vida. E vão fazer muitas vezes, somos todos iguais. É a lei da vida.
Inclusive, e mudando já de assunto, vi hoje na TV que o fim de semana será chuvoso e na segunda-feira fará 30°. Viu? Lei da vida, sua maldita. Coisa injusta. Mas pra mim tanto faz, to de férias não remuneradas. É, DESEMPREGADA MESMO. É a palavra. Tanto faz chuva ou sol em determinado dia.
Segundo o site da Fapcom, meu curso de Rádio e TV é o melhor de São Paulo. Mas de que adianta se ninguém sabe disso?
“- Onde você estuda?
- Na FAPCOM.
- FAP O QUÊ?”
Triste. Por que não to trampando na rede globo? Já sei. Meu destino são as artes. Entra ano, sai ano e to nas artes. Não sei nem porque faço comunicação. Deveria estar fazendo pedagogia ou artes plásticas.
Sério mesmo. Estou me arrependendo do curso que escolhi.
Ok. É mentira.
Jamais me arrependo das coisas que faço.
Jamais é muita coisa. Em sua maioria. Em sua grande maioria.
O Alan uma vez me perguntou por que eu vou
Escrevendo
Assim
No MSN?
Entende?
Pulando
Linhas.
Não sei, oras. É meu jeito.
Acho que ele já se acostumou com isso.
E também porque eu começo as frases e às vezes não...





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

25 de novembro de 2011

Conversa de duas mulheres típicas

- Ai que droga! Que droga! Eu quero dormir...
- Eu quero comer...
- Também quero comer! Também quero! Quero comer qualquer coisa!
- Eu quero comer um bife a parmegiana... com mussarela e molho.
- Pois eu quero comer tudo que vejo na frente! Eu olho para as pessoas comendo algo na rua, no metrô, você sabe, quando eu não estou dormindo no metrô eu estou gorando a comida alheia. Sinto vontade de comer TUDO QUE EU VEJO!
- Ai, um a parmegiana agora...
- Pois eu queria 100gms de azeitona! É ISSO! É isso que eu queria agora.
- Azeitonas?
- Azeitonas sem caroços! 100 gm delas!
- Mas azeitona...?
- E depois chocolate! MUITO CHOCOLATE!
- É, chocolate. Muito chocolate... Mas azeitona?
- Não sei pra onde vai tudo que eu como... Como, como, como e olha aqui... Sou uma jovem acabada.
- Eu também.
- Magra, com olheiras...
- E meu cabelo, olha meu cabelo!
- E o meu? Eu cortei meu cabelo e meu namorado nem sequer notou! AI COMO DETESTO! Preciso de 100gs de azeitona!
- Mas azeitona?... Ah, pense... Seu namorado pelo menos não é gay.
- Todo gay repara que você cortou o cabelo. POR ISSO EU OS AMO! Acho que queria namorar um gay.
- Eles são incríveis mesmo... Acho que queria namorar um também. Mas não consigo namorar nem com um homem, quanto mais com um gay. Você pelo menos tem um. Um namorado, eu quero dizer.
- Tenho? Quem é que pode saber! Tenho hoje, amanhã posso não ter mais. Ora, ele nem sequer reparou no meu cabelo!
- Ele não é gay.
- Quem é que pode saber! Hoje pode não ser, amanha pode ser! O mundo ta assim, minha querida, ta assim...
- Que bobagem...
- É verdade! Talvez ele até seja, e eu que não sei.
- Que absurdo. E eu que nem tenho um?
- Melhor não ter um namorado do que ter um gay.
- Mas da onde você tirou essa ideia de que seu namorado é gay, menina?
- Ai, não sei, não sei! Você que entrou nesse assunto!
- Não, eu disse ao contrário!
- Hey... Veja aquele homem.
- O que tem? Nossa...
- Ele tem mais peito que eu. – Disseram as duas juntas.
- Ta vendo? Ou é gay, ou tem mais peito que eu e você juntas...
- Ou já tem namorada. Quem nem aquele ali.
- É.
- Parece um deus.
- É o mais lindo de todos. Do mundo! Ai...
- Que exagero. Também não é assiiim! Oh, o mais lindo de todos!
- É sim, é sim! Sabe de uma coisa?
- O que é?
- Nunca fique em lugares quando vão fazer o teste de alarme de incêndio.
- POR QUÊ?
- É insuportável. O barulho! É uma sirene maldita que penetra no seu ouvido e fica lá, pra sempre.
- Tinha bombeiro bonito?
- Não.
- Não se fazem mais bombeiros como antigamente...
- Pois é.
- Mas vem cá...
- O que foi?
- Por que azeitonas?








Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

5 de novembro de 2011

Estou há dois passos do paraíso ♪

Ah! As férias. Estão sentindo o cheiro delas? Tudo começa quando você vê panetones no supermercado. Taí, elas estão chegando. Não estou falando das suas tias mineiras que vão passar o natal em sua casa, to falando das férias.  Talvez novembro seja o mês mais longo e doloroso de todos. Mais do que o mês de junho, que é antes das férias de julho, porque na metade do ano você não está tão cansado, estressado, entediado, triste e maluco quanto no fim do ano. Qualé? Vai me dizer que todos vocês também não estão com um grau acentuado de depressão? Err, bem, eu estou, pelo menos. Porque além de ver os panetones no supermercado e sentir o cheiro de natal, outro sinal de que as férias estão chegando, é que você se olha no espelho e percebe que está com olheiras, fios duplos e ressecados do cabelo, e as meninas tem até barba mal feita! A Carol nem sequer mais escreve no blog. Pois é, é quase o fim dos tempos!

Mas voltando ao assunto da palavra mais desejada do ano (só não perde pro Papai Noel, não é galerinha? *-*) as FÉRIAS! Estão próximas. É hora de ter tempo pra gastar! Afinal, de que adianta trabalhar, ganhar e não ter tempo pra gastar, não é mesmo? (a não ser pra conta de luz que seu pai te obriga a pagar todo mês).
Bem, vejamos, no meu caso as férias serão um pouco decepcionantes. Terei tempo e não terei dinheiro, como nos velhos tempos do ensino médio! Mas qual o quê! Eu era feliz naquela época. Era feliz e nem sabia! Assim que as férias começarem meu contrato irá acabar e consequentemente não haverá salário. Puxa vida, hein? Nada na vida é perfeito! Mas mesmo assim eu quero que elas cheguem. As férias, quero que elas venham.
Outra vantagem também é aquele adicional no seu salário junto com as férias. Que eu não terei e nem nunca tive, afinal, quando completei 1 ano de trabalho registrado fui mandada embora! Mas nada na vida é perfeito! Mas mesmo assim eu quero que elas cheguem!
Quando as férias chegarem, o mês passará voando e já estaremos no ano do fim do mundo, 2012! Nada na vida é perfeito! Mas mesmo assim quero que elas cheguem!
E aí que tudo estará mudado, sei lá, talvez um novo emprego. Agora que as férias acabaram, você volta arranjar emprego e continua sem tempo pra gastar. Nada na vida é perfeito... =(
Droga, acho que não quero mais. (Mentira)
Vem férias, vem! E sejamos felizes pelo menos por 1 mês.





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

24 de setembro de 2011

Monólogo da Crise existencial

Não. Não posso mais expressar meus devidos sentimentos! Todos estão me olhando. Todos tem meu facebook e eu não posso, por exemplo,  dizer que eu... Ah, ta vendo? Eu não posso dizer senão alguém vai ler! Ora essa, que coisa desagradável.  Amigos, familiares, colegas de trabalho, todos dizendo “Eu leio seu blog” “ eu li o seu blog”, aaaah, façam o favor! E a minha privacidade, onde é que fica? Como posso falar o que eu penso se o que eu penso estará disponível?! Como poderei satirizar o... Oh MEU DEUS! Eu não posso falaaar o que eu queria satirizar senão tudo estará perdido! E agora? Pra quem eu digo? Como é que eu digo? Subjetivamente? Nãããão! Eles saberão, eu sei, mesmo sendo subjetivo. A subjetividade é algo complicado, porque quem é que leia pode se identificar e pensar “isso foi pra mim!”
Oh Carol, Oh Carol... Mas um blog sobrevive de pessoas lendo. SIM, SIM, EU SEI! Mas jamais poderei ser (ainda bem) como a Bruna Surfistinha e postar as minhas confissões! Apesar de querê-las! Não, não posso! Estou aqui, eu comigo, eu aqui. Quero e não posso, imagino mas não crio! Siiim! É a maldição das redes sociais! É a doença do século XXI! Sim, estou enxergando. Na mesma proporção das pessoas viciadas em celulares eu, eu... É como se fosse uma crise existencial, vocês entendem?! SEJA FELIZ COM A CAROL-OL-OL, mas qual o quê! A Carol não pode falar tudo! Mas no fim pode sim, porque então é só falar! Oh! Oh! Não estou conseguindo lidar com isso. Meu deus, estou apontando o dedo pro meu próprio rosto! HEEEI, TIRE O DEDO DA MINHA CARA! Quem você pensa que é?!!! Oh meu deus! Sou eu! Que má educada da minha parte! Que falta de respeito! ESTOU GRITANDO COMIIIIIGO?! Abaixa a bola aí mocinha!!! Não fale desse jeito comigo mesma que eu NÃO GOSTO DISSO, ok?! Ai que insuportáááável! É TPM isso? Ah, nem é! Qualé, parece um cara falando! “é TPM isso?” Que frase clichê! Gente, estou sendo muito clichê? É ISSO? Estou sendo repetitiva, repetitiva, repetitiva?! Oh... O que posso fazer agora?! Que cara é essa Carol? (acabei de me olhar no espelho, é assustador mesmo)
To me chamando de feia, é isso?! COMO ASSIM?! Oh deus... vocês estão lendo isso! Que terrível, que horror...! Mas e a privacidade? Ah, nem falei o que queria falar mesmo... Nem pude dizer que... Oh, não não! Não posso dizer, fique quietinha! Eles lerão!  Ta me mandando calar a boca, é isso?! “Não, cale os dedos!” Ahhh, to debochada, é isso! SÍNICA!
SIIINICA?! Não! Chama-se precaução!  É loucura, isso sim! Já procurou um psicólogo? Isso pode piorar... Ah, é verdade, eu já passo em uma.  Então seu (meu na verdade) é problema pra psiquiatra. PSIQUIATRA?  Eu já passo em um e ele... Bem, ele não bate muito bem, eu acho. Ei, e se sua(minha) psicóloga ler isso?! Talvez ela ache que eu nunca deva receber alta. Oh deus! Está vendo? Não posso me expressar mais, eu não posso...

*Salvar -> meus documentos -> blogspot.com -> login -> nova postagem -> publicar -> publicando -> publicar no facebook - > publicar no twitter -> publicar no Orkut...










Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

10 de setembro de 2011

O Planejamento Estratégico de Vida de Ana Paula Cadamuro

Tudo começou quando Ana Paula Cadamuro cortou o cabelo e ninguém raparou, assim como o meu.  Mas o vento soprou seus cabelos ondulados, ela andou levemente em “câmera lenta”, seu perfume espalhou-se para todos os lugares e seu celular tocou.
Era da InfoJobs, com uma proposta de emprego imperdível. Sim, Ana Paula havia conseguido um emprego de recepcionista bilíngüe na Metropolitana! ( o que tem a ver metropolitana com cargo bilíngüe? É que ela conseguiu os dois. OS DOIS.).
O fato é que, além de recepcionista bilíngüe da metropolitana, Ana também é atriz, cantora, modelo e dançarina. Não é freira e nem puta. Ah, porque nem toda feiticeira é corcunda e nem toda brasileira é bunda!
E aí que a Ana arrasa no teatro e desperta a paixão de um... de um... De um... Alto, bonito, simpático, interessante... e.... senhor.
Mas o que pode ser feito contra  o amor?! Ana também se apaixona pelo velinho! Ah, quanta experiência ele tem! Só de experiência ele deve ter uns 30 anos! Ah, Ana vai aprender muito com ele, muito...
De repente Ana está noiva! Mas tão nova assim? É que na verdade Ana quer dar o golpe do baú, infelizmente não conhecia esse seu lado meio ambicioso. Ele já é tão velho mesmo, ué!
Chega a noite de núpcias! Ahhh, Ana vai desfrutar de tooooda aquela experiência... Nossa, são muitos anos de experiência. Ana está ansiosa pela experiência. Mas não é que o velho tem um infarto quando vê Ana e morre?! Foram tantas emoções... Bem na noite de núpcias. Então quer dizer que Ana matou o próprio marido pra ficar com a herança?
Que escândalo! Ana está presa até provas convictas de que ela não matou seu marido! Mas Ana está rica. A herança é dela, ela trabalha na metropolitana e é bilingui! E é isso que importa! 





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

30 de agosto de 2011

Paranóia da Velhice (audio) - Especial

Meu aniversário está chegando, e pra comemorar meus 20 aninhos, fiz a postagem especial. Uma reprodução, em audio, sobre o texto Paranóia da Velhice vulgo post http://carol-ol-ol.blogspot.com/2010/04/paranoia-da-velhice.html

video
Locução: Ana Paula Cadamuro (Vera), Caroline Cardeal (Narração), Carolina Hanke (Bete) Janderson Difanti (Efeitos)
Texto: Carolina Hanke
Produzido no estúdio de audio da Fapcom.





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

19 de agosto de 2011

Carolina Hanke Bracho

E o professor mandou fazer um audio onde eu me apresentasse como se fosse uma entrevista pra trabalhar na globo. Então eu me inspirei nada mais, nada menos que em... PAOLA BRACHO. 
          Agora na versão Carolina Hanke Bracho.


video






Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

13 de agosto de 2011

A Carta Misteriosa

Cheguei em casa e meu irmão disse:
- Olha, carta pra você. ABRE LOGO! To curioso pra saber o porquê você recebeu uma carta do Google.

Por que eu recebi uma carta do Google?

Na hora pude ver uma proposta de emprego futura naquela carta. O Google me descobriu pelo próprio Google, vendo meu talento, minha competência e etc, etc, etc, vocês sabem, né? Então resolveu me contratar.

Não. Não abrirei essa carta! Não posso ter a coragem de ver eu ganhando milhões, milhões!
A carta era branca com os coloridinhos das letrinhas do Google.

- Abre essa joça logo!

Não, não. Espere. Deixe-me sentir a essência. Sou pessoa importante agora. Se querem saber, quase arranjei um emprego de repórter de TV, que me traria um cargo superior mais tarde de apresentadora, e depois modelo, atriz, e váááárias coisas. Só não consegui o emprego porque fiz a grande besteira de NÃO escrever um planejamento estratégico de vida falando que eu iria conseguir. Mas saibam vocês TODOOOS que eu passei nas 2 primeiras etapas da seleção. Ou seja, meu real talento foi descoberto, mas não colocado em prática. Se eu tivesse feito um planejamento estratégico de vida, vocês estariam me vendo na TV agora. Mas agora não adianta mais, não é? Não é?

Mas deixaremos águas passadas de lado, e voltaremos ao Google.

Quer dizer que agora eu recebo correspondência do Google? Não. Não. *pausa dramática* Não é carta da minha tia avó do interior do interior (nada contra cartas de tias-avós), nem cartinhas de banco com propaganda. Era uma carta do Google! (Grande merda você deve ter pensando.) Na verdade eu também pensei, mas tenho que dramatizar, não é?
Abri a cartinha carinhosa do Google. Aposto que eles escreveram a mão pra mim.

Quando abri VISUALIZEI NITIDAMENTE – VOCÊ GANHOU 100,00!
    GANHEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEEI!    


Ganhei um adesivo do Google e 100 reais pra fazer anuncio da minha empresa pelo Google.


Que empresa, Google? Que empresa?! ¬¬
Não tenho empresa pra divulgação. Então fiquei decepcionada porque aquela carta não serve pra NADA. =(
Não tenho empresa, não tenho salário bom, não tenho vida profissional bem sucedida... E o Google ainda vem tirar sarro de mim, sabe? Todo cínico “anuncie sua empresa”. Só pra jogar na minha cara que eu não tenho uma.

Mas então eu descobri. Vou contar meu segredinho que tenho com o Google: Ele sabe que eu serei uma pessoa de sucesso e já está propondo grande parcerias, associações, negócios, e etc.









Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

28 de julho de 2011

O Planejamento Estratégico de Vida de Carolina Hanke - O CASAMENTO

Olá pimolhos! Em 2009 comecei a escrever algo chamado "O Planejamento estratégico de vida de Carolina Hanke". Muitos de vocês já leram sobre O Bonitão da Faculdade, entre outros. Hoje resolvi colar uma parte de tantos outros planejamentos. O do meu casamento.

Escrito em outubro de 2009
[...]
Alguns anos mais tarde, aos meus 28 anos eu finalmente consigo comprar uma Kit Net e começo a morar sozinha. Aos meus 32 anos, no dia 21 de setembro, numa sexta feira, num jantar entre amigos, ele levanta-se da mesa e diz:
- Bom, tenho uma coisa a dizer.
E todos olham espantados. Aposto que ele perdeu o emprego, pensa um de nossos amigos invejosos.
Não. A Carol está grávida, sempre suspeitei do golpe do baú.
Mas ele continua:
- Carol... Há anos estamos juntos... Foi difícil fixarmos não? Você fugiu tantas vezes... Mas cansei de enrolação... De namorico. Casa comigo?
Meus olhos brilham e eu digo sim! Sim, sim, sim! Mas onde está o anel de brilhantes? Ou pérola? Ou diamante? Cadê?
Por outro lado, o jantar pode não ser entre amigos. Talvez estejamos em um restaurante, jantando juntos, apenas. Na verdade estamos brigados. É.
- Carol... Há anos estamos juntos... Foi difícil fixarmos não? Você fugiu tantas vezes... Mas cansei de enrolação... De namorico. Casa comigo?
Meus olhos brilham, e eu respondo:
- Claro amor!
- Que ótimo!
- Mas, preciso saber uma coisa.
- Sim, o quê?
- Quando você vai escovar os dentes você aperta o tubo de pasta no meio ou na metade?
- Hã?
- RESPONDA!
- Eu não lembro... isso importa?
- Claro que importa. Anos e anos com uma pessoa que aperta o tubo de pasta no meio pode levar ao divórcio.
- Ta, se eu aperto no meio eu passo a apertar na ponta, oras.
- E sua toalha? Você a estende?
- Sim, POR QUÊ?
- Seus chinelos, você deixa espalhados ou tem um canto fixo pra guardá-los?
Ele nem responde.
- Você gosta muito de macarrão? Sim, porque macarrão é uma das poucas coisas que sei cozinhar, portanto fique ciente que só irá ter isso aos domingos. Mesmo porque é fácil também. Outra coisa, acabo de lembrar! Quem vai pagar a empregada? Sim, porque tem que ter uma, né? Vamos rachar a despesa da empregada. Agora, se estivermos duro, saiba que as tarefas serão divididas. Por exemplo: Se eu cozinhar, você lava. Você varre e eu passo o pano. A roupa cada um pode muito bem cuidar da sua. A máquina lava e cada um passa. Alias, você lava sua cueca no chuveiro? Quanto tempo você fica no chuveiro? A gente vai ter banheira? Banheira é muito propicio pra você carregar uma amante até ela. Principalmente se for empregada. Aliás, nossa empregada terá que ser bem feia, gorda e burra.
E enquanto eu continuo dando as rédeas de nosso plano estratégico de casamento pra que ele dure até que a morte nos separe, ele fica lá, parado. E pensa “o que eu fui fazer da minha vida?” E ele pode até imaginar, num futuro muito próximo, eu vestida com uma camisola comprida até os pés florido, com uma barriga grávida de 8 meses, o cabelo preso com bobs histérica, falando, falando e apontando o dedo para a sua cara.
- ... porque o natal eu já aviso que temos que ir pra casa da minha mãe, afinal...
Eu fico grávida. Tudo começa quando eu vômito almoçando. Apareço em casa com o exame e digo, ao bonitão inteligente com quem eu me casei:
- Querido, tem um feto ambulante na minha barriga.
- Como é que é?
- Há! Amor, to grávida.
- É sério? – Ele se engasga com o suco de laranja lima.
- É. To com cara de quem está brincando?
Longos 5 minutos de silêncio percorrem.
- Então... amor... A gente tem que...! Comemorar! – Ele diz emocionado.
- Comemorar o quê? A barriga  inchada e cheia de estria que eu vou ter? Um bebê chorando todo dia de noite e nos acordando? As despesas com a fralda? O coco fedido dele? Os gastos com médicos? Porque ele irá ficar doente do primeiro dia do nascimento até mais ou menos seus 10 anos de idade. Virose, dor de ouvido, joelho ralado, sarampo, gripe, catapora, etc, etc, etc. Depois ela cresce e aparece com um namorado cheio de tatuagem de dois metros de altura, cinco anos mais velho dizendo “Ae brother, eu amo sua filha, cara!”.
- Como você sabe que vai ser menina?
- Porque eu quero que seja uma!
- Vai ser um menino!!!
- Vai ser uma menina!
- Você nem está feliz com a gravidez. Estamos constituindo uma família e você acaba de dar uma lista trágica e depressiva pro nosso filho que nem nasceu.
- Trágica? Estou sendo apenas realista querido.
- Você é uma maluca!
- Maluca? Nunca diga a uma grávida que ela é maluca!
E assim voam-se pratos, copos, almofadas. Uma guerra. E ele dorme no sofá.


Acompanhe a saga completa:

O Planejamento Estratégico de Vida de Carolina Hanke - O Início
O Planejamento Estratégico de Vida de Carolina Hanke - O Retorno
Tudo que você Queria saber sobre os erros do Enem
Carol e O Bonitão da Faculdade - O Retorno 
O Bonitão da Faculdade - O Retorno - Parte II
O Bonitão da Faculdade - O FINAL
Mas afinal de contas, quem é O Bonitão da faculdade?
O Planejamento Estratégico de Vida de Carolina Hanke - O CASAMENTO - você está aqui
O Novo Planejamento Estratégico de Vida de Carolina Hanke - Beta 2.0
 







Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

12 de julho de 2011

Logo novo no Seja Feliz com a Carol-ol-ol

Sabe como é né? Assim como no ano passado eu olhei pro meu logo com as fotos de caretas enormes e entrei em crise existencial"...Quando eu chegar aqui e olhar pra ele, e ver que nada mais faz sentindo. Crio outro post de crise existencial e corto o cabelo de novo! Simples assim."


E assim foi. Olhei pro logo, olhei pro @Lucas_V_G, olhei pro logo de novo... Olhei pro @Lucas_V_G, olhei seus dotes publicitários e pedi pra ele fazer um novo logo pro meu blog, e CABUM! Cá está. Não tão rápido e imediato assim com o Cabum, mas está. Feliz, e o mais importante: EM AZUL FÚNEBRE.  Combinando com o fundo, com carinhas felizes, e etc. Infantil? Exagerado? Tosco? Absurdo? Não importa! É assim que deve ser! 


A única diferença dessa vez é que não cortei meu cabelo. Há vários motivos pra isso: a falta de dinheiro, a falta de um pé na bunda - seguindo o principio básico que toda mulher corta o cabelo quando toma um pé na bunda. Olha lá o que você vai fazer hein, Lucas.





Portanto! Todos os direitos criativos reservados pra ele! Palmas, galera! E... Sejamos felizes com a Carol-ol-ol e seu novo logo!









Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

4 de julho de 2011

O sonho (?)

- Sonhei essa noite com você!
- Ai que linda, como foi?
- Um pesadelo TERRÍVEL.
- Ah!
- Você brigou comigo!
- Err...
- Era seu aniversário e o último dia de aula ao mesmo tempo, antes das férias.
- Meu aniversário é em setembro e...
- Xiu! Eu sei! Mas não podemos mandar nos sonhos.
- Ta.
- Era seu aniversário, e todos iriam pra aula somente pra te ver, porque não iria ter nada de importante. Cheguei mais cedo e fiquei te esperando. PORQUE VOCÊ PEDIU pra eu ir mais cedo!
- Fala mais baixo.
- To falando...! Aí você estava demorando! E eu te mandava sms perguntando se você estava vindo e nada de me responder! Pensei “Será que ele não está respondendo porque o celular dele está ruim ou por que não quer mesmo?”
- Que sonho mais real!
- Por que você não me respondia HEIN?! Comecei a ficar nervosa.
- É, deu pra perceber.
- Aí a Ana (sim, A Ana Cadamuro!) disse que você ligou pra ela para avisar que não iria! ME RESPONDA! Por que você ligou pra ela e não pra mim?
- Calma. Foi só um sonho!
- Você não iria mais porque o telhado da sua casa havia quebrado! AHÁ!
- O.o
- E daí? E O QUE EU TENHO A VER COM ISSO? Quer dizer que você manda eu ir mais cedo e não vai porque o telhado quebrou?! Que história pra boi dormir!
- Mas...
- AÍ! Eu, decepcionada... Voltei pra minha casa. Mas antes de chegar, sabe-se lá porque, na estação Santana, você me ligou. TODO BRAVO! Perguntando: “Cadê você?” Ah, mas que debochado! Como assim?!
- O.o
- Deixa de ir, me deixa esperando, e ainda fica bravo! O fato é que você resolveu ir até a faculdade.
- Que coisa!
- Aí eu tonta, voltei. E ADIVINHA! Agora vem a parte MAIS IMPACTANTE DA HISTÓRIA! Devo dizer isso aqui? Devo?!
- Não! Que medo!
- Vou dizer!
- Fala baixo!!!
- Vou falar!
- Fala baixo!
- Você chegava e dizia que NÃO! O telhado da sua casa não quebrou pipoca nenhuma! Seus amigos haviam dado de presente uma festa em uma boate com mulheres fazendo strip tease!
- HAHAHAHA! Fala baixo, ta todo mundo olhando!
- SEU SAFADO! Como você diz isso na minha cara?!
- Você ta brigando comigo por causa de um sonho?!
- Sonho não, pesadelo!
- Que seja!
- Quem vai na Boate de manhã?! Ninguém!
- E como você sabe disso?!
- Disso o que?
- Que ninguém vai em Boates de manhã. Você já foi em alguma?
- Não! Mas todos sabem!
- SEEEI!
- Verdade! Quer dizer... Você... Você...! Cara de pau!
- Mentirosa!
- Por que mentirosa?
- Já foi em boates e nem me contou!
- Eu nunca fui em uma, homem!
- Não adianta! Você deixou escapar!
- O.o
E os dois emburraram.





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

20 de junho de 2011

O Planejamento Estratégico de Vida de Alan Alves

[...]
Alan diz: - Eu to de boa... Semi-desempregado, mas de boa. XD

Carol diz: - Semi-desempregado?! Por quê?

Alan diz: - Meu setor fechou. =/
Mandaram uma galera embora, deixaram alguns mais antigos pra realocar. E não me deram nenhuma resposta ainda. Meu futuro é incerto.
Que drama.

Carol diz: - Quer que eu faça um planejamento estratégico de vida pra você? Todos meus até agora deram certo! Te contei que arranjei um estágio na Bienal? Escrevi no meu blog que ia trampar lá e CABUM!

Alan diz: - Eu quero sim. No final eu fico com um coroa bonitão e rico, tipo o Zé Mayer. E a faculdade é de jornalismo, não esqueça, JORNALISMO.
Escreve lá que eu espero acontecer.

Tudo começou quando o Alan dormiu em serviço, e eles ficaram pensando se valia a pena deixá-lo no trabalho. Seu destino agora era incerto. Ele estava prestes a ficar na míngua da pobreza. Mas Alan foi esperto e muito generoso. Participou da promoção do Festival da Nova Brasil FM, pra ganhar 1 par de ingressos e me dar, pois Ana Carolina tocaria e faria o MAIOR E ÚNICO SUCESSO entre os outros meros artistas. E ele conseguiu. Foi quando eu fui ver a Aninha, linda, linda! Não pude evitar, e subi no palco!
“-Ana! Ana! Eu te amo, eu te amo!” Assim mesmo, duas vezes, duas vezes (só pra não perder o costume).
Ana Carolina obviamente ficou encantada por mim (ela gosta de loiras) e me perguntou: - Tem algo que eu possa fazer por você?
- Além de tirar várias fotos comigo e autografar minha camiseta?!!!
- Sim – ela respondeu.
Lembrei do Alan, eu tinha que retribuir o favor.
- Me passa o Facebook do Zé Mayer?
- Claro! – Sim, Ana Carolina tem o Facebook do Zé Mayer.
E assim foi. Alan adicionou Zé Mayer no Face, e curtiu suas fotinhas. Não sabia do lado gay de Alan, confesso que até fiquei admirada, mas, era a forma de retribuir o favor que ele havia feito pra mim.
Se o Zé Mayer pegou o Alan? Pois é. Aconteceu o seguinte: Zé Mayer se encantou com as piadas (?) de Alan, e um dia, os dois conversaram por muito tempo. Alan caiu no encanto (assim como eu no de Ana Carolina) de Zé Mayer. Alan comentou por cima que gostaria de fazer o curso de Jornalismo, mas suas condições financeiras iam de mal a pior. Zé Mayer disse que, então, como agrado, pagaria seus estudos. Mas como todos sabem, Mayer nunca dá algo sem ter algo em troca. E o resto vocês já sabem, né?
O fato é que Alan, além de estudar de graça em Milão (?), pegou o Zé Mayer e mais um monte de mulheres, num surubão.
Chocante, né?





Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.

9 de junho de 2011

Coisas de um casal apaixonado

Todas às vezes, por mensagem de celular, após se despedirem, mandavam um coraçãozinho em formato de s2. No segundo mês, o “s2” era escrito em “s2meses”, só pra ficar mais bonitinho. No terceiro mês, o moço teve a idéia de escrever “k3” só pra completar a idéia de 3 meses, poético e romântico.
Eram as borboletas se manifestando, sabe como é, né? Uma pesquisa feita em “Hardware” (?) foi descoberto que as borboletas no estômago, atuais e modernas, usam da tecnologia via sms e/ou MSN para manifestarem seus sininhos tocantes e brilhosos. Apesar disso parecer gay, as borboletas globalizadas, continuam as mesmas, sem definição de sexo, e, portanto, os rótulos não podem ser dados para seu comportamento, mesmo porque, todo casal apaixonado acaba por ficar meio gay, mas isso é assunto para outro post.

E os dois conversavam:
- Três meses é a duração de uma primavera!
- É verdade! Só que...
- O quê?
- Não estamos na primavera, né?...
- Ah, sim, claro.
- Até seria bonitinho se estivéssemos na primavera...
- Tsc Tsc...
- Sabe o que eu estava pensando?
- O quê?
- No quarto mês não vai dar pra fazer coraçãozinho. – Disse a moça, porque, obviamente, isso é, de fato, algo muitíssimo importante para que um relacionamento fique bem equilibrado.
- Sabe que eu também estava pensando nisso?! – Respondeu o moço.
- E agora?! Como faremos?
- Ah, não sei... deixa eu pensar...
- Que complicado.
- Ta difícil, né?
- Sim..
- Tive uma idéia!
- Qual é?! – E seus olhinhos já brilhavam.
- Me empresta um papel e uma caneta.
A moça emprestou e ficou ansiosa esperando.
- Pronto! Montei!
- Cadê?
- Segredo.
- Ah, pare! Me mostre!
- É em inglês.
- Em inglês? Qual a diferença de um coração em inglês pra um em brasileiro?
- Vai fazer toda diferença, mas só no quarto mês.
- Vai mesmo fazer isso comigo?
- É segredo, que coisa!

A moça emburrou.

- Vai ficar de cara virada, é? – Perguntou o moço, brincando. Mas ela não respondeu, estava brava. Porque de fato, não saber como o coraçãozinho do quarto mês será, é de extrema importância. E em um relacionamento, essas coisas não podem ser escondidas.

Como é o coração do quarto mês?
Eu não sei, ué. É segredo.










Licença Creative Commons
A obra Seja Feliz Com a Carol-ol-ol de Carolina Hanke foi licenciada com uma Licença Creative Commons - Atribuição - Uso Não-Comercial - Obras Derivadas Proibidas 3.0 Brasil.
Com base na obra disponível em carol-ol-ol.blogspot.com.